A Ruiva | CONTO


Estava despreocupado, jogado na grama do parque, o que é comum por aqui. Era para ter sido um da normal, mas o brilho de uns olhos verdes me chamou a atenção e quando eles focaram em mim, as bochechas cheias de sardas da dona coraram, sua boca se abriu em um belo sorriso.
Não sabia como reagir e acabei perdendo-a de vista. Tudo bem, era só mais uma garota entre muitas outras. Eu procuro um amor, que vai além da beleza, quero um grande coração e não um rostinho bonito.
Quando estava prestes a me levantar para ir embora ela sentou-se ao meu lado e eu esqueci completamente o que iria fazer. Sua voz tocou os meus ouvidos e definitivamente aquela era a melodia ais bela que já ouvi, pude sentir que ela não era só mais um rosto bonito, eu estava em transe.
Demorei segundos para responder seu oi, o que me apareceu infinitas horas. Ela abriu aquele belo sorriso para mim e perguntou o que eu fazia sozinho em um parque. Sinceramente? Nem eu sabia, mas foi exatamente essa resposta que gerou horas e horas de conversa e só fui notar isso quando já estava escurecendo. Ela disse que precisava ir embora e simplesmente se foi. Não deixou seu número, eu nem pedi seu nome e quando me dei conta ela já estava distante. Tentei correr atrás dela, mas era tarde demais, ela desapareceu no escuro.
Ela era real? Será que peguei no sono e aquilo foi apenas um sonho? Não era possível, aquela garota existia, ela precisava ser real.
Voltei ao parque todos os dias naquela semana, ela não apareceu em nenhum dia e quando eu estava começando a me convencer que ela era apenas fruto da minha imaginação, ela veio em minha direção. Conversamos por alguns minutos e antes de ela ir lhe entreguei um papel com meu endereço e pedi para ela passar lá em casa essa noite. Era uma sexta-feira e minha vida estava prestes a mudar.
Tomamos café a noite toda, rimos até a barriga doer, mas não aconteceu nada além disso… Estávamos totalmente sem sono, mas ela precisava ir e se foi. Seria sempre assim? Ela precisaria ir toda vez, não podia simplesmente ficar comigo? Eu a queria comigo, queria a ruiva mais linda que já vi comigo.
Ela voltou todas as noites a minha casa, e sempre ia embora ao final.
Sua visita virou rotina, e após dois meses aconteceu o primeiro beijo, e eles também se tornaram rotina. Era como voar pelo céu, suas bochechas ficavam levemente rosadas realçando suas sardas, seu cabelo brilhava a luz da cozinha e meu coração batia mais forte cada segundo que se passava. Será que aquela mulher não era um anjo, afinal? Eu não me importava com o que ela era, eu só queria que ela continuasse a voltar.
Depois de cinco meses os “eu te amo” começaram. Eu tive medo no começo, as palavras não queriam sair da minha boca até que criei coragem. Ela hesitou, mas quando finalmente falou senti meu corpo se inflamar, era a melhor coisa que eu já tinha ouvido e não queria que aquela sensação acabasse nunca, não me importaria de passar horas a ouvindo, sua voz era perfeita, como cada parte do corpo e do seu ser. Os seus olhos brilhavam, mas eu tinha certeza que os meus reluziam tanta luz ao ouvi-la falar que eram capazes de cegar alguém. Eu estava apaixonado pela primeira vez, e não queria esconder isso de ninguém. Ela foi a melhor coisa que me aconteceu.
O tempo continuava a passar e eu sempre me perguntava se ela gostaria de ser minha namorada. Eu tinha tanto medo de pedir, mas da ultima vez que havia deixado o medo de lado eu conseguir ser feliz de verdade. Após meu pedido ela se pôs em pranto, não entendi aquela reação, abracei-a e coloquei sua cabeça contra meu peito. Quando suas lagrimas cessaram ela disse que queria ser minha namorada sim, e aquela noite acabou em beijos.
Fiquei a esperando no outro dia, preparei nosso café e sua sobremesa preferida, mas ela não apareceu, tentei ligar e ela não atendia. Ela também não apareceu no dia seguinte e nem na semana que se passou, liguei todos os dias e ela não atendeu. Fui até seu apartamento e ela não estava lá. Suas coisas continuavam iguais desde a primeira vez que visitei aquele lugar, mas a falta de sua presença deixava tudo vazio, inclusive minha vida.
Passaram-se meses e ela não apareceu. Não veio a minha casa, seu apartamento continuou vazio, e o parque nunca mais teve o brilho de seu sorriso. Ela havia desaparecido. Ela realmente não era só um rosto bonito, ela foi muito mais do que isso. Ela foi, ela se foi e levou meu coração consigo.




2 comentários:

© Amor Literário - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo