Eu Aprendi Amar - CAPÍTULO 4


Eu sentia muito ciúmes, o tempo todo. Eu mexia no celular dele e ele não ligava, o que o incomodava era os “chiliques” que eu dava quando encontrava alguma conversa (geralmente sem nada para desconfiar) com alguma menina, colega de faculdade, amiga de infância, vizinha, prima... não importava, mesmo que não tivesse nada a desconfiar da parte dele eu não confiava nelas, NELAS, eu sei como é mulher e depois de tanto lutar contra mim mesma para não me deixar apaixonar por ele não queria nem pensar na possibilidade de alguém roubando-o de mim. Eu não queria que ele tivesse amigas.
Quando eu bebia as coisas eram mais complicadas ainda, porque nós brigávamos pelo meu ciúme e eu não conseguia formular argumentos bons o suficiente para justificar a tal ciumeira. Nas festas eu não o deixava sair de perto de mim, nem para comprar bebidas para nós. Eu tinha muito MEDO de perdê-lo, e ele não conseguia compreender isso de maneira nenhuma. Nem as minhas amigas conseguiam compreender porque eu as afastava quando se aproximavam dele, ninguém conseguia me entender, O MUNDO TINHA VIRADO CONTRA MIM?



— Mih, meu amor, está tudo bem... O mundo não está contra você, só queremos te mostrar que tentar me controlar não é uma atitude legal — ouço-o falar.
— Por que não é legal? Você quer falar tanto com elas por quê? Eu não sou suficiente?—digo essa ultima parte um pouco mais alto do que devia
— Michele, não! Mas eu tenho o direito de me comunicar com outras pessoas!
— Sim, tem um monte de homem perdido por aí...
— Eu deixo você falar com quem quiser, confio em você!
— Está dizendo que não confio em você?
— É o que parece...
Respiro fundo, eu nunca deveria ter começado esse namoro, deveria ter ficado como estava.
— Quê? — ouço Diogo dizer, com um tom meio perdido. Merda, eu devo ter pensando alto.
— Nada não, meu amor — Abro um sorriso.
— Não Michele, eu ouvi, você disse que não deveria estar namorando comigo. — Não consigo identificar o que o tom de sua voz passa.
— Não disse, não, meu amor. Só pensei um pouco alto...
— Ah, que ótimo então, bom saber que você não quer estar comigo — Ele parece irritado.
— Eu não disse isso! – retruco
— Mas tem pensando nisso, pelo jeito!
— Amor... — falo quando ele sai pisando duro em direção à porta.
— Não Michele, não me chame de amor. Você está tentando me privar da minha vida, você apagou o numero até da minha chefe! Ela é casada, tem filhos, tem 40 anos! — ele diz com um tom irritado.
— Você pegou a minha mãe! — respondo no mesmo tom, quem ele pensa que é pra falar assim comigo? Ele me olha com um olhar fulminante após ouvir essas palavras.
— Isso é bem diferente, e você sabe! Faz o seguinte... Procure um psicólogo para tratar essa insegurança, você precisa de ajuda, Mih. E quando estiver melhor, procure a mim. — Ele faz uma pausa para respirar — Estou cansado disso, dessas brigas constantes, desse ciúme sem fundamento, de você tanto me privar da minha vida. — Após dizer isso, ele sai porta a fora e entra no apartamento dele. Não tento ir atrás, minhas pernas estão bambas e sinto lagrimas quentes rolarem pelo meu rosto. Eu estraguei tudo mais uma vez, mas esse não é o fim, essa história não acaba assim e nem agora, ele precisa e vai voltar.








13 comentários:

  1. Olá!

    Achei interessante falar sobre ciúmes e confiança, eu já passei por situações assim e é realmente chato, e isso já me fez não gostar muito da Michele hahaha Mas estou curiosa pela continuação :D

    Um beijo, Carol
    Blog com V.

    ResponderExcluir
  2. Olá! Tudo bem?
    Muitas vezes presenciamos cenas de ciúme e desconfiança de um casal sem fundamento, porém acho que as vezes não podemos tentar afastar todos daquele que amamos com medo de perder-lo! Adorei o conto! Um ótimo conto para refletir sobre a desconfiança! Beijocas do Canção 😘

    ResponderExcluir
  3. Oii, ciumes de mais é algo sufocante! Entendo a Mih sentir isso pelo fato de ele ter se envolvido com a mãe dela, mais o sentimento meio que está demais né kk e isso acaba com qualquer relação, aguardo ansiosa pela continuação.
    Beijos <3

    ResponderExcluir
  4. Rapaz... Ciumes é uma coisa tão complicada. Eu gostei muito do jeito que você colocou. Realmente, ela precisa de tratamento . Estou adorando o conto.

    ResponderExcluir
  5. Acho que ter um pouco de ciúmes até que é bom. Sabe aquela frase "quando a gente ama é claro que a gente cuida"? Acho que cuidar um pouco é até bom, mas a Mih realmente precisa de tratamento, isso que ela sente e pensa não é normal, e faz mal para a relação dela e até para ela mesma. Vou ficar esperando pela continuação :).
    Bjo
    ~ Danii

    ResponderExcluir
  6. A MINHA VIDA É ESSA... Espero que não termine assim...
    "— Por que não é legal? Você quer falar tanto com elas por quê? Eu não sou suficiente?"
    eu sempre hahahaha

    ResponderExcluir
  7. Nossa.. deu um embrulho no estomago ler a nojeira ciumenta dela. Só isso já faria ela perder não só ele mas a companhia de todo mundo. Porque ciumes é a insegurança de quem sente e não culpa da pessoa "alvo". #tenso
    ~Elis Blog Pretenses

    ResponderExcluir
  8. Nossa, que história! Ciúmes demais sufoca né?! Passa a deixar o relacionamento nada saudável...
    Adorei a história!
    Super beijo linda!!

    www.lendo1bomlivro.com.br
    Instagram :) @lendo1bomlivro

    ResponderExcluir
  9. Olá,

    Que raivinha dessa personagem com esse ciúme exagerado hahah. Tomara que ela melhore, né? Uma ajuda não faz mal a ninguém.

    Adorei!
    Beijos,
    Ler Antes De Dormir

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bom? :)
    Nossa, que personagem insegura, meu deus!! Ciúmes e insegurança criam situações até mesmo ilusórias na cabeça né, a pessoa fica tão encucada com isso, que acaba sendo doentio. Eu acho que tudo é bom moderadamente. Se passou disso, é bom procurar ajuda. Adorei o capítulo, muito bem escrito!
    Beijos, Yasmim.

    Blog: https://literarte.blog.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi, tudo bem?

    Amei a história e já quero mais...já sobre o ciúmes é quase impossível controlar e também tem o fato de que ciúmes demais desgasta a relação e prejudica a ambos.

    ResponderExcluir
  12. Ameei, super me identifiquei rsrs
    Lindo blog, já estou seguindo!

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Acho que confiança em um relacionamento é a base de tudo né, e ciúmes exagerados não leva a lugar nenhum. Amei o capítulo de hoje. bjus.

    ResponderExcluir

© Amor Literário - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo